Começando meu relato:
 
Como vc sabe, juntei-me ao bonde em Pomerode, dia 03.
Éramos: Gigio + Klein + Bete (SP), Mazzo + Paulo Zé do Laço (Ctba) e eu.
O Zé (que vc não conheceu) voltou logo após o jantar e o Kruger (este vc conheceu) chegou de Ctba, na manhã do dia 04.
 
Dia 04 seguimos (Gigio + Klein + Bete + Mazzo + Kruger + eu) até Vacaria, onde pernoitamos.
 
Dia 05 nos encontrando com Furer e esposa em Caxias, que nos levaram até Gramado e POA.
Encontramos um gaudério "perturbando" logo que pegamos a Cairú!!!  rsrsrs
Festa no Avelino, à noite.
 
Dia 06 = vc sabe melhor que eu!  rsrsrs  Juntou-se o Capado ao grupo, no final da tarde.
 
Dia 07 foi a "largada" oficial do bonde "chilensis" (como eu tenho chamado).
Vieira nos acompanhou até Rosário. GDM e eu fomos até Uruguaiana.
Penoite por lá, e eu tentando convencer o GDM a prosseguir comigo até Santa Fé.
 
Nem um, nem outro. Ele ficou na entrada da ponte e eu prossegui com eles.
Mas "Alguém" não quis que eu atravessasse a fronteira (ou que voltasse sozinha de Santa Fé).
Na hora de preencher os docts, em Passo de Los Libres, percebi que estava apenas com a carteira de habilitação, sem RG e sem passaporte.
Não me ative a isto antes, pois a única certeza que tinha, ao sair de casa dia 03, era a de ir até POA. Uma vontade grande me prometia talvez "esticar" até Uruguaiana, mas não me passou pela cabeça a idéia de cruzar a fronteira. Idiotice!!!
 Voltei umas 2 horas após o GDM, pelo mesmo caminho que ele estava fazendo.
Tentei estabelecer um contato com ele antes, e pedi o seu celular aos amigos, mas me disseram que ele não tinha (ou não estava com ele).
Sem comunicação com GDM, e com um calor de matar, abasteci minha azulzinha em Passo de Los Libres, tomei um "balde" d'água e voltei, na hora que o bonde partiu "solito", sem mim ... snif, snif.
 
Aprumei pra Itaqui e São Borja, sem mais encontrar o GDM. Ainda entrei na cidade para almoçar, na esperança de "quem sabe" encontrar sua moto por lá, parada em algum canto. Nada feito! Descanso (merecido) de meia hora e rumei pra Passo Fundo, onde pernoitei.
 
Como o calor era de matar, e agora estava "dona do meu nariz", descansei pela manhã no hotel e segui rumo a Viadutos, onde visitei meu "anjo da guarda", Cadore, que foi me socorrer na estrada no dia do acidente. Ficamos de papo até o fim da tarde, e resolvi pernoitar em Curitibanos, isto já 21h.
Ótimo, pq minha moto estava com um pequeno furo no pneu. Tinha percebido algo diferente na pilotagem, mas não pensei no pneu.
Sabe como é ... gato escaldado ... sempre que percebo algo diferente na moto, acho logo que é algum defeito do acidente, por mais que me digam que ela está boa (e não sinta puxar, nem vibrar).
Engraxei novamente a corrente e percebi que o pneu estava baixo. Calibrei = 6 libras, ao invés dos 33.
Conselho de um mecânico local: vai assim mesmo, pq o furo é pequeno.
Fui, parando pra calibrar 2 vezes na estrada. Estava com 28 libras na primeira, e 25 na segunda.
Chegamos bem! Ambas!!!
Direto pra BC, onde esperava colocar os fuxicos em dia com alguns amigos, mas compromissos outros fizeram com que apenas o Faraco aparecesse por lá, e depois a Nice, sua esposa (ambos vc ainda não conhece).
 
Nova calibragem, brejas e muuuuuuito bate-papo ... rumei pra casa, onde pude me livrar em definitivo (?) das roupas de couro e tomar o melhor banho dos últimos tempos!!! 
 
Fim da linha ... por enqto! rsrsrs