Trânsito
Proposta pretende proibir caroneiro em moto à noite
Projeto de lei apresentado por deputado revolta motociclistas
EDUARDO CECCONI

 

Caso aprovado, um projeto de lei em tramitação na Assembléia Legislativa pode proibir motociclistas de oferecerem carona após as 19h. A proposta do deputado Adolfo Brito (PP) e um pronunciamento do parlamentar na tribuna justificando a idéia provocaram indignação entre motociclistas gaúchos.

A proibição valeria entre as 19h e as 6h em todo o Estado. O texto prevê que o motociclista deve retirar o capacete e os óculos ao estacionar. A lei, se aprovada, vigoraria nas áreas urbanas de municípios com mais de 50 mil habitantes.

- Nosso interesse não é ir contra o deputado, mas sim contra o projeto. O que revolta mais são os termos usados por ele para definir a classe - argumenta o presidente da Associação dos Motociclistas do Rio Grande do Sul (AMO/RS), Leandro Ballardim.

Ballardim se refere à sessão de quinta-feira. Nela, Brito pediu aos colegas que analisem o projeto devido à necessidade de "coibir furtos, assaltos e outros delitos praticados à noite por motoqueiros que se dizem motoqueiros, mas que, em sua grande maioria, são assaltantes e ladrões".

Em um dia, a AMO/RS recebeu mais de 300 e-mails de motociclistas revoltados com a comparação. Muitas mensagens foram repassadas ao deputado.

- Protocolamos esse projeto para abrir o debate. É uma preocupação muito grande para farmácias e postos de combustíveis quando motociclistas chegam à noite. O mais importante é levantar o debate para encontrarmos uma solução. Não tenho a preocupação de aprovar o projeto como ele está. O motociclista, geralmente, é gente boa. Mas essas pessoas que cometem os crimes não são motociclistas - afirmou o deputado.

André Krueger, 35 anos, mototaxista em Pelotas, está preocupado com o projeto.

- Para nós seria horrível. Quantos pais de família vivem disso? E quem quer transportar o filho ou a mulher, como fica? - questiona.

Conforme o major Frederico Bretschneider, chefe de Operações da BM, não existe uma estatística de assaltos praticados sobre duas rodas. Mas ele diz que a motocicleta é um dos veículos mais utilizados nesse tipo de delito.

( eduardo.cecconi@zerohora.com.br )

Exemplos de restrição
> Novo Hamburgo - Lei municipal obriga motociclistas a retirarem o capacete em estabelecimentos comerciais e prevê que, nos postos de combustíveis, as motos só serão abastecidas quando os pilotos estiverem com o rosto à mostra.
> São Paulo - Projeto propôs a proibição do trânsito de motocicletas com caroneiros nos dias úteis na Capital. Nos finais de semana, os caroneiros estariam liberados.